12 Horas de Sono

Posts Tagged ‘Séries

Já obtivemos a resposta!

Recentemente temos visto um grande descaso da Fox com seus produtos/consumidores aqui no Brasil. Há algum tempo atrás, as séries produzidas e distribuidas pelas Fox sofreram uma mudança drástica em sua embalagem/capa. Da forma normal passou a ser slim (imagem título). Isso já criava problemas para quem, como eu, gosta de colecionar os produtos. Um exemplo é a série Arquivo X, que tenho algumas temporadas, e caso eu queria completá-la terei que comprar com a embalagem de outro formato, causando uma diferença bizarra na coleção. Isso serve de exemplo para outros títulos.

Mas a coisa só vem piorando. Agora a Fox resolveu lançar uma embalagem ainda mais simples para alguns títulos de filmes antigos. Eu, na verdade, ainda não sei se irão existir embalagens normais e embalagens simples, para que o consumidor possa escolher, mas sendo a Fox, eu sinceramente acho difícil acontecer isso. Alguns dizem que é para tentar nos empurrar os belíssimos Blu-ray, outros dizem que é a etapa final da vida dos dvds, apenas uma seguimento normal. Eu digo que é sacanagem mesmo.

Imagens das embalagens retiradas do blog do Jotacê

Não parece uma estante de LP?

A nova embalagem consiste em nada mais, nada menos, que uma envelope de papelão. Parecida com as embalagens de dvd e cd virgem espalhadas pelo mercado. Aquela que vc destaca atrás um pedaço e abre a embalagem. Dentro o seu disco de dvd com o filme, as vezes alguns extras simples, como trailer, clipe de música tema e fotos. Extras com entrevistas, cenas deletadas, diário de filmagens e etc.? Não estarão inclusos, podem tirar o cavalinho da chuva. Se o preço estipulado é de R$ 9,50, é certo que além da capa o material completo será simples. Leve em conta também que o dvd é um material frágil, que arranha a toa, e sendo tirado e colocado por vezes e mais vezes dentro de uma embalagem de papelão, não vai viver muito.

Por um lado existe o benefício de estar pagando menos, já que o preço do dvd continua absurdo por aí. As vezes o valor alcança R$ 50,00, mas oferece o que um colecionador quer. Materiais extras diversos dentro de edições duplas ou triplas. Mais uma vez esqueçam essas possibilidades. Até porque não cabe mais de um dvd dentro da capa de papelão.

Nesses casos a gente para pra pensar. Eu e muitas outras pessoas que gostam de ter seu dvd original, bonitinho na prateleira, organizado, etc. achamos um absurdo essa iniciativa. Discutimos e comentamos com amigos. Mas é aí que a caímos na real e vemos porque isso acontece. O descaso com esse tipo de coisa no país é enorme. A Fox não teve a decisão do nada, infelizmente ela conhece o consumidor brasileiro, que de longe é um dos países que mais pirateia filmes e séries. E mais, infelizmente ela sabe que a maioria não está nem aí, prefere estar com o filme e – desculpem-me a palavra – foda-se o resto.

Tenho alguns exemplos de amigos que comentaram o assunto. Através do grupo de e-mail do yahoo, pude ter noção do quanto a Fox nos conhece:

Cara, eu prefiro ainda baixar a pagar 12,90 ou 19,90 ou 24,90 ou qualquer outro preço, pra qualquer outra qualidade de capa dos dvds. Agora se for pra comprar, o meu interesse mais é o conteúdo extra do dvd e não a capa em si. Se piorando as capas, baixa o custo, eu posso viver com isso.

Diego Salerno

Concordo com o Diego, só o fato do dvd vir prensado e com conteúdo extra já vale mais que a capa. E com um impressora ótima como a minha e um papel com qualidade de foto, eu imprimo a capa, monto ou compro um box, e faço uma capa legal bem parecida com a original!

Adrian “Bill” Marques

Realmente fica difícil…

E para finalizar, vou deixar aqui a prova de que um produto bem feito não é a mesma coisa de um produto caro. Vários títulos que ainda se encontram no mercado não precisaram estar em uma capa de papelão para terem seus preços mais baixos. Aliás, eles ainda são duplos!

Por que será que a Fox não faz algo do tipo em outros países? Porque ela sabe que vai ser alvo de muita reclamação, e pior, reclamações que diminuem de fato as vendas. Diferente daqui. Querem mais exemplos? Vamos, então, a títulos simples que mesmo assim tem seus fãs e suas edições especiais. (Os títulos à baixo não são da Fox. São apenas exemplos de que lá fora existe respeito pelo consumidor e respeito do consumidor pelo produto)

Quer mais?

Ainda quer mais?

Então passa no Jotacê e confere a seção DDI, Dose Diária de Inveja. Lá você pode tirar a conclusão que não é de hoje o descaso com o Brasil. Fazer o que? Nós mesmos que somos os culpados.

Holy Fuck!!!

Posted on: 13/12/2008

É, isso mesmo. Eu assisto Gossip Girl. Tá bom, podem sacanear. Eu sei, eu sei. É seriado pra mulherzinha, né? Aham. Tá bom. Mas enfim, eu curto e não vou deixar de assistir por causa desse preconceito idiota que me ronda toda vez que eu confesso assitir à série.

Quem faz comparações entre Gossip Girl e The OC está completamente enganado. Eu simplesmente odiava The OC. Ambas tratam da alta sociedade? Sim. Ambas tem um monte de riquinho mimado? Sim. Mas ainda assim eu acho nada a ver uma com a outra. Acho que essa discussão é longa e sempre acontece entre os fãs das duas séries. Mas o caso é que eu estava lendo um artigo sobre Gossip Girl e de repente a minha cabeça explodiu.

Quem se lembra dessa frase: “Xo Xo, Gossip Girl“? Ahm? Quem diz isso? A “dona” do blog, certo? Ou, caso prefiram, a narradora da série. Aquela que fala sem dó nem piedade dos outros. Coloca o perfil de cada personagem dentro do vaso e dá descarga. Pois bem, por acaso alguém tem idéia de quem seja aquela voz? Eu nunca dei a mínima pra isso até ler o nome Kristen Bell.

“HOLY FUCK! WHAT THE HELL… ARE YOU SERIOUS???”

Sim, essa foi a minha reação ao ler isso. Kristen Bell? A narradora de Gossip Girl? Tá falando sério? É, e muito sério. Rola até um boato que na verdade ela é a dona do tal blog e que um dia ainda vai aparecer na série como personagem. Mas calma, isso aí já é apenas boato, não tem nada confirmado. Aliás, segundo uma entrevista que ela mesma deu à CW, acontecer isso é bastante improvável. Não acredita? Eu provo! 😛

E começou! A ABC deu a largada para os sneak peek de Lost. Os sneak peek são clipes com cenas de um episódio – possivelmente o primeiro – que lembram os comerciais de episódios das novelas da Globo. Para ser mais exato: Sneak (furtivo/furtividade) + Peek (espiar) = Dar uma espiada sorrateira/furtiva. Ser um curioso olhando a fechadura. Enfim, não se conter e ver o clipe de Lost para saber o que vem por aí na 5º temporada.

Nessa primeira cena mostrada, Kate recebe a visita de dois homens com uma ordem judicial de coleta de amostras de sangue dela e de Aaron. Segundo o promotor de justiça, o teste será para comprovar o parentesco dela com o garoto, e que o pedido partiu de seu cliente, cujo qual ele prefere, por direito, não revelar o nome. Kate, então, os expulsa e ele diz que irá voltar com o xerife. Pelo visto é hora de arrumar as malas e dar no pé.

Assista ao vídeo

A nova temporada de séries trouxe dois novos épicos fantasiosos interessantes. Na verdade, existem três épicos na grade das séries atualmente, mas como um deles não é certeza de retorno, falarei de apenas dois.

– Legend Of The Seeker –


Legend Of The Seeker é uma criação de Sam Raimi e está sendo produzido pelo mesmo. A série é inspirada na saga Sword of Truth de Terry Goodkind. Para quem não lembra, ou não sabe, Sam Raimi é responsável também por duas séries bastante conhecidas por todos. Xena: A Princesa Guerreira e Hércules. A única diferença é que os tempos mudaram e ninguém quer ver mais aquele jeitão trash das duas séries antigas. Para quem assistia as antigas produções de Raimi sabe que o cenário, o figurino e o roteiro era bem infantil. É por isso que a nova série traz traços mais adultos, porém, os clichês não foram deixados de lado.

Algo que seja épico ou tenha fantasia na estória é impossível, ou quase, de não conter clichês. Não que eles sejam ruins – mentira, nesse caso são sim – mas acabam cansando o público e deixando as cenas prováveis demais. O fator surpresa e inovação para esse gênero está longe de ser atendido.

No primeiro episódio eu já sabia o que ia assistir. Um personagem descobre que é o escolhido e junto com sua turma terá que derrotar o mal para salvar o mundo. Pois é, não deu outra. Pelo menos o escolhido não era uma criança. Menos mal. A grande jogada é que as locações não são uma florestinha qualquer, e sim a Nova Zelandia. Palco de O Senhor dos Anéis e outras grandes produções. O amadurecimento já é notado logo na primeira cena, com cenários bem feitos, tomadas mais inteligentes, efeitos visuais bem trabalhados e um figurino digno de um bom épico. Não tem armadura mal feita ou bruta demais, está tudo na medida do bom gosto.

Os atores, pelo que reparei, não são experientes, mas tem levado bem a série. Atualmente ela se encontra no sétimo episódio, e a cada semana cresce mais na trama sem se perder e se embolar. Não há muito o que explicar da proposta de Legend Of The Seeker a não ser o que eu já disse. O que posso acrescentar são os termos usados. Seeker é o nome dado ao escolhido que tem como missão, segundo a profecia, libertar Midland das garras de um poderoso feiticeiro, chamado Darken Rahl. Na aventura ele é seguido pela Confessora Kahlan e o mago Zedd. “Confessor” é nome dado às mulheres de uma ordem que buscam a verdade, não importa o quanto tentem lhe esconder, e também protegem o Seeker até a morte.

Eu indico apenas para pessoas, que como eu, amam de paixão contos épicos. Ainda mais para aqueles fãs de fantasia com um tom maduro, como em O Senhor dos Anéis.

 

Aqui vão algumas imagens da série

 

– Merlin –

Merlin trata-se de um épico inspirado na lenda do Rei Arthur e se desenvolve em cima do personagem que intitula a série, o mago Merlin. É uma produção do canal inglês BBC, mesmo criador de Robin Hood, o outro épico pelo qual resolvi não comentar no post por não ter certeza de retorno para uma nova temporada.

Aqui a coisa começou mal, muito mal, e por vários motivos. Ao contrário de Seeker, essa série ainda é tratada como algo pequeno e com um ar infantil. Nada que se compare à Xena ou Hercules, mas ainda assim possui esse tom que não desce, pelo menos no começo. A lenda é a que todos conhecem. Arthur, o herdeiro de Camelot traça batalhas contra personagens mágicos e não-mágicos de outros reinos com lendas que o cercam.

Quando vi o primeiro episódio eu fiquei com medo. A cronologia meio que se embolou. Merlin tem a mesma idade de Arthur, coisa que não bate com a lenda. Gwinevere é uma criada aos serviços de Morgana, o que também não bate, e diga-se de passagem, muito feia – isso não bate mesmo!!! Enfim, “detalhes” a parte outras coisas também me deixaram com medo. O roteiro se mostrou fraco, os efeitos visuais amadores, e o figurino – ressaltando a armadura – insuficientes. Como eu gosto de Robin Hood – que não é lá grande coisa – dei um voto de confiança à BBC e me segurei até o quinto episódio. Eis que exatamente no quinto episódio a coisa começa a ficar mais bela. O figurino não mudou, Merlin não está mais velho que Arthur e nem Gwinevere se tornou linda e não é mais criada de Morgana – que pena -, mas o roteiro ficou maduro. Coisas interessantes começaram a acontecer e a ligar a série com elementos da lenda de Arthur, como Excalibur e aparições de personagens tais quais são importantíssimos – quem pensou em Lancelot ganhou uma barra de chocolate. Porém, como nem tudo é doce como rapadura, uma coisa ainda persiste. Tudo roda em torno de um fim em comum. Matar Arthur em todos os episódios, mesmo com alguma coisa aqui e outra ali, é o ponto chave. Tá na hora do pessoal de Londres começar a preencher essas lacunas dando um “que” a mais na estória, usando mais elementos ainda e com fins mais amplos. A lenda  de Arthur é muito composta e eles podem fazer muito melhor.

Ah, e eu já ia esquecendo. Os efeitos visuais foram deixados de lado. Somente é feito para o dragão – que até ficou legal – e de resto fica na maquiagem mesmo. Esse foi o maior alívio, porque a coisa tava feia.

Eu indico essa série apenas para os que tem a mente aberta quanto a lenda de Arthur. Para os fãs fervorosos eu acho melhor deixarem essa passar. E claro, tenham paciência. Como eu disse, a coisa demora um pouco pra esquentar. Se encontra no décimo episódio até agora.

 

Aqui vão algumas imagens da série

Tags: ,

Quem se lembra da greve dos roteiristas que começou ano passado? Durou cerca de 3 meses e atrapalhou o andamento de um monte de séries. Agora chegou a vez dos atores protestarem.

“O Screen Actors Guild (o Sindicado dos Atores norte-americanos) não entrou em acordo com a Associação dos estúdios cinematográficos e pretendem iniciar uma greve se conseguirem a aprovação de 75% dos seus membros. O Sindicato reivindica por contratos mais justos, que envolvem melhores salários e porcentagens nas exibições dos produtos em outras mídias, como a Internet.” <<< Por Caldeirão de Séries.

Eu afirmo aqui que mesmo querendo que a greve dos roteiristas acabasse logo, de certa forma é compreensivo o que houve. Eles estavam ganhando realmente mal pelo trabalho que faziam. Essa galera que cria as estórias maravilhosas que muitas das pessoas pelo mundo assistem na sua poltrona de casa. Agora os atores reclamarem? Na foto do post, por exemplo, se encontra o ator Jon Cryer – puta chorão mesmo – da série Two and a Half Men. Ele contracena com o bem pago ator Charlie Sheen. Se todo ator coadjuvante cismar em querer ganhar mais por inveja do amigo de cena, realmente vai virar bagunça. Nem todo mundo tem nome, e melhor, experiência pra comportar um salário como o de Sheen, que é de 300 mil por episódio.


Antiguidade

Ih, é hoje!

junho 2017
D S T Q Q S S
« set    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Comentários

[_m-BZ] em Em quem votar?
guxta em Em quem votar?
Malu em Em quem votar?
[_m-BZ] em Em quem votar?
guxta em Diablo III

RSS Twitter/guxta

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Status do Blog

  • 35,176 hits