12 Horas de Sono

A briga eterna da maconha

Posted on: 12/10/2009

Como dizia Gabriel O Pensandor: Querem proibir, querem liberar…

Tudo isso é só para evitar a concorrência, porque não é Hollywood, mas é todo sucesso. Muito se fala do tal monopólio da maconha. Resta saber se o real monopólio está nas mãos dos traficantes ou nas mãos de pessoas com cargos elevados, jurídica, etc. A verdade é que muita gente pensa pela lado positivo e muita gente pensa pelo lado negativo, e assim nunca chegaremos a uma conclusão. Essa briga será eterna.

É fácil achar opiniões diversificadas, basta saber onde procurar. A maconha não é usado apenas por delinquentes. A maconha não é descriminada apenas por religiosos. A maconha não escolhe raça, classe ou cor. Sua liberação ou proibição vai da opinião de cada um. E não são apenas duas vertentes, e sim três. Quem é usuário, quem não é usuário e defende e quem não é usuário e não defende. Aliás, caberia um quarto: quem não é usuário e não está nem aí pra isso. Porém, ainda existem as opiniões que visam a maconha para comércio, e não apenas uso. Quem usa compra ou planta. Quem planta usa ou vende. Quem vende, as vezes nem usa e leva aquele dinheiro para outro lugar. O crime. Daí o dinheiro se transforma em armas. Como acabar com isso? Alguns diriam que liberando, mas quem vai garantir que quem planta, para uso, não irá vender ou dar? É um assunto complicado, pois implica em cada cabeça que for usufruir do direito de liberação.

O interessante é ver como a liberação não afeta alguns locais. No mundo, existem cidades que vendem não apenas drogas – não todas – mas prostituição e sexo em locais públicos. Bom, levando em conta que estamos falando do uso de drogas – ou da natureza – podemos afirmar que a prostituição também gera riscos de saúde – ainda mais dependendo do produto oferecido, hehehe -, assim como o álcool e o cigarro. Só que o cigarro e o álcool não caíram tanto nas graças do crime, pelo menos atualmente. Como explicar essas cidades? Dentro dela, as coisas fluem. Se em algum lugar por lá se vende drogas para fora do país, especialmente países que não possuem liberação do produto, é outra história. Aliás, se essa passagem é realizada de alguma forma, para chegar até aqui sem problemas, por exemplo, o problema é nosso, e não deles. Se a proibição é a solução, tem que se fazer direito. Hoje o número de usuários de maconha é gigante, concluindo que as leis sobre drogas, assim como todas as outras, não adiantam no Brasil. Não seria melhor sentar e tentar resolver esse problema melhor? Pegar cada um responsável por setor coincidente e projetar algo amplo? Sim, seria. O problema é isso ser feito. Afinal, como eu já disse, muitas pessoas lucram com o tráfico, e como a maconha não escolhe nem raça, nem cor, nem classe, muito menos conduta de vida/ética, ela também está em mãos poderosas muito além das de um traficante.

Hoje em dia é mais importante gastar bilhões em projetos esportivos – Pan-Americano, Copa, Olimpíadas – que em projetos sociais, leis de segurança, saúde, educação e por aí vai. Não estou dizendo que esse gasto com projetos esportivos não será bom para o nosso país, mas creio que antes estejamos necessitando de outras coisas. A prioridade não existe e com isso vamos “crescendo” de qualquer jeito.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Antiguidade

Ih, é hoje!

outubro 2009
D S T Q Q S S
« set   nov »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Comentários

[_m-BZ] em Em quem votar?
guxta em Em quem votar?
Malu em Em quem votar?
[_m-BZ] em Em quem votar?
guxta em Diablo III

RSS Twitter/guxta

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Status do Blog

  • 35,280 hits
%d blogueiros gostam disto: